Retorno sobre investimento: você sabe o que é? « Agile Way


6 de Janeiro de 2010

Retorno sobre investimento: você sabe o que é?

Um dos principais benefícios dos métodos ágeis é o chamado Retorno Sobre Investimento, conhecido como ROI, ou return on investment.

Você que costuma falar desse benefício aos seus colegas, sabe exatamente o que se trata?

Este post visa tentar ajudá-lo a se embasar e bater mais forte em cima deste item. Afinal, a dor é no bolso é sempre mais forte.

Sem delongas, ROI é a relação entre o dinheiro ganho ou perdido através de um investimento. É aquele dinheiro que você (ou um investidor) utilizou para investir e que receberá de volta (com lucro) ou com prejuízo.

Normalmente é expresso por uma porcentagem. Se um investimento tem como ROI 10%, isso significa que se você investir 100 reais, terá como retorno 110 reais, ou seja, o montante que você investiu, mais 10 reais.

Falar de ROI usando apenas uma medida é fácil. O problema mesmo é quando envolve as outras variáveis que iremos discutir: benefícios não-financeiros e tempo.

Tempo

Se um empreendedor chega para você com uma idéia sensacional, diz que fez cálculos detalhados e que o ROI financeiro do projeto é de 50%. Você aceitaria bancar?

Por que não, certo? 50% é um bom retorno.

Agora acrescente mais uma medida: O ROI financeiro do projeto é de 50% em 10 anos.

Opa! A coisa muda de figura. Primeiro: estamos falando de muito tempo, 10 anos é quase uma eternidade para qualquer investimento. Segundo: se você colocar esse dinheiro investido na poupança (o “pior” dos rendimentos – 0,6% ao mês) sem contar os juros compostos, você teria um retorno de mais de 70%! Por que investir em um projeto cujo ROI é pior do que o da poupança?

Notem como ROI x tempo são duas variáveis explosivas. Uma pode quebrar com a outra. Por isso, quanto mais cedo o ROI for obtido, melhor.

Benefícios não-financeiros

Agora pegue este mesmo projeto, e acrescente que ele dará 50% de ROI financeiro em 10 anos, e existem grandes chances de ele ser a cura para o câncer. O que você faria?

Neste caso, estamos pensando não só na questão financeira. Mas também nos benefícios da sociedade. A empresa que detivesse a cura do câncer, seria talvez tão destacada quanto é o Google hoje em dia. Quem não iria querer isso?

Estes são os benefícios nã0-financeiros. Conquistas intangíveis que poderemos obter com aquele investimento. Pode ser competitividade, benefícios sociais, ambientais, tecnoloógicos, etc.

Graficamente falando…

Estamos dizendo que o ROI é:

Compreensível, não é? ROI (valor) é o que permeia os custos (investimentos) e os benefícios (retorno). Simples assim.

Maximizar o ROI – Objetivo do Agile

Quando falamos em “maximizar o ROI” estamos dizendo aos nossos investidores e stakeholders que iremos obter o maior retorno e valor com o menor tempo e custo possível. E isso é extremamente possível com a abordagem de desenvolvimento iterativo, baseado na priorização, conforme os métodos ágeis sugerem.

O cliente investirá 500 dólares por iteração.
Ele tem 10 funcionalidades para serem feitas (10.000 dólares no total).
Serão entregues 2 por iteração.
Cada iteração terá 1 mês.
Totalizando 5 iterações, ou 5 meses.
Ele já terá o seu sistema funcionando ao final da segunda iteração, com 4 funcionalidades prontas.
Poderá lançar o seu produto investindo 1000 dólares.

Isso significa que ele poderá vender o seu produto ou serviço, na terceira iteração (terceiro mês!). A grosso modo, ele terá competitividade (lançará seu produto antes) e poderá receber dinheiro de seus clientes (produto/serviço comercializado). Além disso, nos próximos meses ele já terá um feedback de seus clientes, o que irá orientá-lo sobre a necessidade ou não de rever o backlog previsto. Talvez as 10 funcionalidades se tornem 8. Talvez mudem, orientadas ao cliente.

O fato é que ele terá o seu produto funcionando (valor), talvez já se pagando financeiramente (retorno) e com o menor custo possível (investimento). É um exemplo bobinho, mas que mostra o poder de maximizar o ROI.

Agora pense em waterfall….

O cliente investirá 10.000 dólares no projeto.
Serão 10 funcionalidades para serem desenvolvidas.
O sistema será entregue ao final da fase de homologação e testes.
Serão 5 meses de todo processo de requisitos, análise, construção, testes e homologação.
O desenvolvimento do produto (de fato) se dará lá pelo terceiro mês.
Ele só terá o seu sistema funcionando ao final do quinto mês.
Lançará seu produto quanto tiver investido os 10.000 dólares (se tudo correr bem!).

Isso significa que ele só poderá vender o seu produto ou serviço, no quinto mês, se tudo correr como o planejado. A grosso modo, ele perderá competitividade (lançará seu produto muito tarde) e não poderá receber dinheiro de seus clientes (produto/serviço comercializado). Além disso, não terá um feedback de seus clientes: seguindo a tendência de TI, 3 das funcionalidades que ele desenvolveu não serão usadas nunca. Outras serão usadas de vez em quando. E apenas 2 ou 3 serão usadas com frequência.

Isso significa que 1500 dólares foram para o lixo, 7.000 dólares poderiam ter sido melhor investidos e apenas 1.500 dólares tiveram um investimento certo.

Falando em ROI, ele teve um prejuízo financeiro absurdo (utilizando todo o recurso previsto, e até mais caso algo saia do plano), não gerou nenhum benefício não-financeiro aparente e só pode entrar no mercado com o produto depois de meio ano.

Conclusão

Investir financeiramente (ou não-financeiramente) em um projeto que segue o modelo waterfall tende a ser um tiro no pé. O foco do Agile é maximizar o ROI, porque entrega valor e benefícios, que podem vir a se tornarem vantagens para o cliente: seja o lançamento de um produto mais cedo do que os concorrentes, seja a possibilidade de já obter retorno financeiro sobre o produto com maior antecedência.

Maximizar o ROI é estar voltado ao mercado. É ter o seu produto funcionando (valor), talvez já se pagando financeiramente (retorno) e com o menor custo possível (investimento).

Não é mágica nem é uma promessa milagrosa dizer que os processos ágeis maximizam o ROI. É lógico e trivial! Um modelo orientado ao mercado.



7 Comentários para “Retorno sobre investimento: você sabe o que é?”

  1. Excelente abordagem sobre ROI, gostei muito.
    Parabéns.

  2. Parabens pelo artigo simples e objetivo Flavio.
    Vc tem razao qnd diz que muitos projetos nao levam a variável “tempo” em consideracao, e isso acontece muitas vezes, pelo que tenho observado, pela forma como grandes instituicoes sao organizadas, principalmente com relacao a alocação de orçamentos. Na maioria das vezes os orçamentos são anuais, o que gera um desinteresse por parte de quem gerencia os orçamentos (Business Sponsors ou Product Owners) de ter este retorno em menos de um ano. Outro fator que afeta a falta de foco no ROI é o fato de que se um PO tem um orçamento de 10 milhoes e gasta apenas 5 milhoes, no proximo ano ele tera só 5 milhoes, ou seja, é melhor gastar mais, o que é uma contradição. Isso acontece no mundo público também quando os orçamentos “precisam” ser gastos para que eles recebam mais dinheiro no próximo ciclo.
    Enfim, parabéns mais uma vez, tenho acompanhado seu trabalho de longe.

  3. Hugo Alves diz:

    Valeu pelo esclarecimento do conceito de ROI.

  4. Mirian diz:

    Ola….compreendi…mas o retorno sobre investimento em relação ao lucro operacional liquido/ativo total…como devo analisar isso …por exemplo: ROI=LOP/AT = 5.000,00/15.000,00=33%….como compeender esse calculo?????

    Att

  5. [...] Se quiser saber melhor o que o conceito de retorno sobre investimento (RSI) significa, clique aqui ou também aqui. Tags deste post: coaching corporativo, coaching de vida, crescimento pessoal, [...]

  6. Dora Teles diz:

    Otima abordagem…Já lí uns 5 artigos para entender ROI e esse foi de longe a mais clara definição de Retorno de Investimento que li… Agora sim, posso apresentar meu seminário sobre ROI…obrigada!!!

Comentar